Tag Archives: solidão

My old memories.

18 nov

I will always remember..

“Era 00h00 e eu fiz meu pedido: poder me mudar, e ser feliz ao lado do meu amor.
Era tudo o que me importava naquele momento.”

Olhei para o relogio, era 00h03, e as lagrimas pareciam cortar o meu rosto conforme escorriam. A minha dor era grande, e eu precisava me isolar. Meu coracao batia rapido(tao rapido quanto as lagrimas que escorriam – ou seja, sem parar), e todas as mas lembrancas da minha infancia me vieram em mente. Geralmente nao me lembro dos sorrisos, acho que tive poucos… Mas lembro das brigas que ouvi, das lagrimas que vi, da solidao que senti, do vazio em tudo, de uma crianca deixada ali, parada, apenas a observar as coisas ruins acontecerem. Ja vi alguns sorrisos, claro; Mas nunca foram para mim. Lembro-me de parecer um problema e nao a felicidade de alguem.

Acho que nunca fizeram questao que eu existisse, mas ja que existo, eles pagam minhas contas. Tudo por obrigacao. Nao me lembro de nenhum sorriso quando eu pedia um sorvete… lembro das caras e bocas que pareciam dizer “o que diabos voce faz aqui?”. Os sorrisos foram apagados da minha infancia, e eu os recuperei agora. Mas toda vez que eu estou feliz, alguem estraga, fico me lembrando da infancia, penso que sou indesejavel pra qualquer pessoa e tenho vontade de sumir! Assim eu nao atormentaria mais ninguem; E junto com minha saida, todos os sorrisos que conquistei tambem sumiriam… Mas pelo menos eu viveria no vazio, sem dor, sem amor… E seria o que sou hoje, mas sem tais lagrimas: um nada.

Eu queria sumir daqui, aparecer em outro lugar, e comecar uma vida nova coom meu amor(Pois foi quem me devolveu os sorrisos que tinha perdido).

With some pain, memories, melancholy and new love, Nati,

Got frustrated.

2 out

You forgot me... again.

“All I wanted was you” –  And I still do.

Era uma noite escura,já estava tarde, mas eu ainda estava ali te esperando. Todos que passavam por mim me olhavam, e achavam estranho eu sozinha ainda acordada. A promessa feita parecia sussurrar em meu ouvido sem parar “te vejo essa noite”… E quando eu fechava meus olhos, sentia um frio passando entre meus dedos. Meus dedos gelados, a ponta de meu nariz vermelha, meus cabelos sendo lançados pro lado, e o vento levando a promessa. Outro sussurro começou, e dizia levemente em meu ouvido “por que ainda espera?”. Comecei a sentir o frio em minha direção; O vento o trazia, e levava agora a esperança… Pensamentos vieram em mente, já que o silêncio me conduzia à isso, e tudo o que eu pensava era que você tinha mais uma vez me esquecido. Lembranças do beijo em que fez se esquecer de mim, da troca que fez por mim, pensamentos dizendo de como você nunca se importou… Tudo o que era ruim estava girando em minha volta, e todas as perguntas estavam ali. Tentei tirar tudo de minha mente, tentei me focar em você, mas então meu ponto fraco foi sussurrado lentamente por uma voz fria e desconhecida “Se ele te esqueceu mais uma vez, será que voltará a se lembrar amanhã?” Era como se fosse a propósito, como se o ódio quisesse me fincar novamente… Minha reação foi deixar que as lágrimas me abraçassem, até que eu adormecesse sem perceber.

With melancholic thoughs, Sarah.

Sobre as coisas que poderiam acontecer.

30 set

Minha maior vontade nesse dia, seria poder dizer.  Seria poder te ligar e dizer “me encontre em tal lugar”. Eu iria dizer tanta, mas tanta coisa. Poderia ficar falando por horas, seu perfume, seu olhar e sua voz não me fariam desistir. Mas eu apenas não posso ligar, não posso dizer. Se ao menos as circunstâncias fossem outras… Mas não.

São tantas coisas que poderiam ser ditas. E eu as diria, creio que iria gaguejar um pouco e perder o fôlego, tremer, talvez.  Depois de tantas coisas ditas, acredito que nós nos abraçaríamos. Aquele nosso abraço, lembra? Poderíamos depois sair para tomar um café enquanto chove e desde a noite. Junto com a noite, lembraria de algumas muitas lágrimas e talvez pudesse ficar pensativa, observando o céu, procurando por minha estrela.  Você perceberia, pelo meu olhar, que eu estaria em uma confusão de pensamentos. Mas seus dedos acolheriam minhas mãos e seus braços ao redor de mim me deixariam segura novamente. Até então, você não havia falado nada e eu já havia me preparado para não ouvir. Afinal, apenas tirar de minha mente todas as palavras empoeiradas já me deixaria tranquila.

Então, chegaria a hora de partir, e eu saberia que esse seria a despedida final. Saberia que havia dito tudo o que deveria, mas nada foi ouvido. Eu estaria engolindo meu choro e as palavras de por-favor-fique-comigo. Essas não deveriam ser ditas, seria tarde demais.

“Se cuida, tchau!” – Essas seriam minhas últimas palavras, seguidas de um sorriso falsamente espontâneo. Eu o abraçaria, sem pensar. Pois saberia que seria o último. Ficaríamos assim por algum pequeno espaço de tempo (pois o tempo passa tão rápido com ele), apoiando minha cabeça em seu peito, eu continuaria engolindo meu choro e as palavras, isso seria sufocante. Mas então, ele diria – Que sente muito, que têm saudade, que digitou meu número por muitas vezes, mas nunca ligou. Que gostaria que ainda fosse tempo, que não me imagina partindo -. O abraço ficaria mais apertado e as lágrimas escapariam, escorrendo furiosas pelo meu rosto. Tomaria coragem para olhá-lo nos olhos, e ele dizia, sim, diria… “Eu amo você, não há como fugir de você”.  Então eu saberia que ele não me deixaria partir. Não haviam promessas, apenas sinceridades. Eu retribuiria suas palavras com sorrisos e lágrimas involuntárias. Não importa em quantos pedaços ele tinha quebrado meu coração, ele era o tipo de pessoa que todas as vezes que dissesse que me ama, essas palavras seriam retribuídas, pois eu continuaria o amando com todos os pedaços do meu coração.

Mas por enquanto, continuo guardando minhas palavras dentro de minha mente, em alguns rabiscos no caderno e em algumas cartas que estão guardadas em lugares secretos, pois nunca serão entregues, como minhas palavras, que nunca serão ditas. Para que elas não escapem, evito seu rosto, sua voz e seu sorriso. Chego até a pegar o telefone, discar seu número. Digito algumas coisas e aperto esc. Escondo minhas lágrimas atrás de meus sorrisos. Me escondo.

Meu maior defeito continua sendo a covardia.

Hoje eu poderia dizer, tanta, mas tanta coisa…. Que você jamais quis escutar. Nunca esteve aqui.

Talvez eu fosse ingênua, me perdi nos seus olhos… E nunca realmente tive chance. Eu tive tantos sonhos sobre você e eu, finais felizes, bem agora eu sei que eu não sou uma princesa, isso não é um conto de fadas. Eu não sou aquela que você quer agradar, conduzida pela escadaria. Isso não é Hollywood, esta é uma cidade pequena.

Ally escreveu algumas cartas que nunca serão entregues hoje.

Feeling empty.

16 set

Nobody would understand me, not even myself.

“Nobody can make me smile.”

Talvez a confusao e a decepcao tenham me deixado assim, tao fria. Talvez eu tenha me esquecido de como me sentiria ao gostar de alguem; Todos os sorrisos e troca de olhares, os beijos que sempre querem dizer algo, o perfume que impregna na roupa, toda aquela felicidade e por algumas vezes ansiedade, todo aquele dia na espera de chegar a noite para conversar com “ele”, e tudo que faz e acontece parece bom, o sorriso que nunca desaparece, toda aquela sincronizacao de desejos e sentimentos… Tudo o que deixa o dia parecer brilhar mesmo com nuvens cobrindo todo o sol brilhante. Esse sentimento me faria assim, provavelmente; Nao seria por falta de vontade, mas apenas tenho me sentido vazia. Talvez o coracao tenha duas partes, aquela que nos faz viver e a que nos faz sentir… E minha parte de “sentir” esta cansada de tentar continuar a bater, sendo que todas as vezes alguem a machuca. Pobre coracao, que mesmo novo esta se sentindo fraco, e sabe que sera dificil achar alguem que o faca voltar a bater. Sim, meus sentimentos ja nao tem se manifestado dentro de mim por ninguem(Quase ninguem); E os poucos que me fazem sorrir, se afastam cada vez mais de mim. Pareco ser mais fria do que de costume… Acho que mudei, pra pior. Mas ainda tenho uma leve esperanca dentro de meus sonhos que alguem vai aparecer, nem que seja somente durante minhas noites.
Dizem que quem tem “amigo imaginario” ou essas “pessoas dos sonhos”(que sonham continuamente com a mesma e parecem conhecer) sao loucos; Mas se esses loucos sao felizes, gostaria de provar um pouco dessa insanidade. Enfim… So espero encontrar um ponto de felicidade.

With an empty heart and thoughts, Sarah.

I’m lost, I’m mess.

14 set

Apenas um desabafo de hoje. 
Eu não perderia tempo lendo, mas se quiserem...

Estou com medo. Com um medo tremendo de nunca mais conseguir sentir aquilo que já senti antes – aquele sentimento que chamam de amor, que me fazia deitar na cama e conseguir olhar o teto por horas, lembrando e imaginando. Que me fazia sentir uma explosão de borboletas no estômago. Que me fazia sorrir sem motivos, rir e ser doce, amável, afável. Me fazia bem, tão bem.

Hoje tudo o que sinto são meus lençóis vazios e minhas mãos entrelaçando um vácuo. Me tornei alguém fria, cercada de barreiras praticamente inquebráveis – ninguém tem a paciência suficiente para quebrá-las, ninguém enxerga em mim aquilo que eu já fui; Doce, amável, afável.  As pessoas ao redor simplesmente não enxergam nada além do meu exterior. E nem sequer tentam, pois seria tempo desperdiçado em vão, com uma menina grossa, impaciente, fria, seca. Uma menina desprezável por mim, que por acaso, sou eu.

Tenho medo de me tornar alguém ruim, de ser controlada pelos meus medos, de não conseguir suportar a mim mesma, de não sentir e me manter nesse torpor interminável. Medos, medos, medos… E nenhum porto seguro para me agarrar. Afinal, quando foi que me tornei essa pessoinha frágil e ao mesmo tempo auto-suficiente? Com sentimentos e um coração (coberto por band-aids) e ao mesmo tempo fria? Só queria encontrar alguém que pudesse me encontrar, no meio dessa confusão.

As lágrimas insistam em aparecer quando me encontro sozinha, procuro por algo que não está mais aqui, me desespero. Dizem que tenho mania de dramatizar, de intensificar… Mas eles não entendem; esses são meus únicos sentimentos e estão completamente vazios, como se não sentisse nada, não confiasse em nada. Como se, embora eu quisesse confiar, amar, sentir, ser alegre, ter um milhão de qualidades, ser amável, doce… simplesmente não conseguisse, pois alguma decepção construiu barreiras que escondem o que sou de verdade. Como dizia Caio Abreu, “Trata-se de uma decepção diferente: (…) não tenho ódio nem vontade de chorar. Em compensação, também não tenho vontade de mais nada”.

Mas estou buscando, estou buscando por algo, por alguém, por sentimentos, por isso que chamam de amor ou quem sabe só buscando por um porto seguro, um ponto de paz ou apenas uma qualidade de volta em mim.

Ally está em crise existencial hoje.

Cold late night.

11 set

Im feeling weird.

“E a madrugada se aproximava, enquanto seus bracos se afastavam.”

Me lembro facil de todos os nossos momentos; Nossos cafes pela manha sempre foram marcantes, com lembrancas daqueles beijos que me esquentavam logo pela manha bem fria. Conforme o tempo se passava, voce continuava do mesmo jeito pelas manhas, mas eu comecava a sentir sua ausencia durante as noites. A madrugada sempre era minha companhia, porque a unica coisa que eu sentia durante as longas horas de noite, era frio e vazio. Voce se afastou por um tempo, e como desculpa, talvez para um recompensamento “automatico”, voce se aproximava pelas manhas. Mas nao, eu nao me deixei ser levada. Eu te avisei que estava percebendo isso, avisei sobre minha partida, e voce nem piscou. Ficou parado observando ate que eu resolvese me cansar  de tudo. Sim, eu me cansei, desisti e aqui estou lhe avisando mais uma vez. Nao consigo mais acreditar em voce, me cansei de ter ciumes por nada, me cansei de ficar te esperando durante horas, me cansei de suas mentiras, de tudo, de voce. Nao estarei mais tao presente em sua vida; E desde quando comecei a me ausentar, voce sentiu minha falta, assumiu isso, mas… Nao voltarei mais a ser como um dia fui, nao voltarei mais a ter aquele sentimento intenso, nem a ver como um dia vi, nem a pensar como um dia pensei. Na verdade, tudo em que for a seu respeito jamais voltara a ser o mesmo. Me desculpe. Nao tema, ainda continuarei a conversar com voce, serei sua amiga, estarei ao seu lado pra te ouvir e aconselhar se necessario, cantarei quando quiser me ouvir, escreverei textos quando precisar ler, e estarei presente… Mas como amiga; e nao poderei mais ter amor, senti-lo ou me tornar seu vicio. Voce encontrou outras para que pudessem me substituir, e eu encontrei o vazio, que pode me consumir. Nao sinto mais nada, por niguem. Voce tirou o que um dia tive, e nao sei quem podera me devolver tal sentimento, ou se alguem um dia ira. Espero que eu seja diferente aos olhos de alguem, porque me cansei de ser normal. Espero que voce possa mudar o mundo de alguem, porque voce so tem sido normal. Enfim, nao importa o que aconteca entre a gente. So quero que saiba que eu desisto de “nos”, mas nao de voce. Estarei ao seu lado sempre, no matter what.

With a good love, Sarah.

Desamparo.

4 set

Essa confusão está se tornando maior a cada dia que passa. Apenas não sei como proceder, não faço idéia do que fazer com todas essas informações que sondam minha mente; sobre sentimentos, as pessoas, a vida, sobre mim. Antigamente costumava entender-me quase perfeitamente, sabia diferenciar aquilo que eu queria daquilo que eu não queria. De um minuto a outro me encontro sorrindo ao mesmo tempo em que lágrimas escorrem pelo meu rosto; a fusão de alegria e tristeza em um só rosto. Mas em uma só mente, é muito para mim, sabe? Jurava que havia esquecido de todas essas histórias sobre o passado, mas involuntariamente imagino cenas de como seria se fosse eu ao invés dela. Logo, me sinto completamente fraca e desprotegida. Como se não pudesse ser suficiente para ninguém. Como se ninguém fosse capaz de desejar esse rostinho pequeno, vermelho e cheio de lágrimas como o reflexo que enxergava no espelho; como se eu estivesse inteiramente desamparada. Tudo o que conseguia pensar era sobre as pessoas. Essas, que entraram na minha vida quase sem querer. Tenho medo de que elas saiam da mesma maneira. Medo de que não consiga amar. E apenas porque queria alguma mão para enxugar essas lágrimas, um sorriso triste me convidando a aninhar, braços quentinhos envolvendo-me em um peito acolhedor. Apenas isso, só para me fazer sentir protegida.
Sinto-me então idiotamente estúpida. Que pessoinha frágil que me tornei! Seria a tpm, a carência ou eu simplesmente começara a sentir a urgência da necessidade de alguém? Não sei, não sei… Não me entendo. Estou a tentar, mas essa confusão de pensamentos não me deixa em paz. Essa mania de falar o que penso quase sem pensar e de não saber como se demonstrar ao certo me irrita. Bah, como odeio esse meu jeito; como é que alguém poderia gostar disso o que sou? Como é que eu poderia conseguir fazer alguém sorrir da mesma forma como me fazem… Ah, estou pedindo demais, por alguma proteção, algum sinal?… Pedindo demais em querer ser a coisa mais importante na vida de alguém, de alguém que apenas não me machuque…?

Perguntas sem resposta. Mas tudo bem, não anseio por respostas. Anseio por paz e doçura; por algo que me encontre desse meu caminho meio perdido e confuso.

“Minha procura por si só, já era o que eu queria achar (…), eu que também não sei não sei aonde estou… Pra mim que tudo era saudade, agora seja lá o que for, eu só quero saber em qual rua minha vida vai encostar na tua… “

Ally.