Tag Archives: família

My old memories.

18 nov

I will always remember..

“Era 00h00 e eu fiz meu pedido: poder me mudar, e ser feliz ao lado do meu amor.
Era tudo o que me importava naquele momento.”

Olhei para o relogio, era 00h03, e as lagrimas pareciam cortar o meu rosto conforme escorriam. A minha dor era grande, e eu precisava me isolar. Meu coracao batia rapido(tao rapido quanto as lagrimas que escorriam – ou seja, sem parar), e todas as mas lembrancas da minha infancia me vieram em mente. Geralmente nao me lembro dos sorrisos, acho que tive poucos… Mas lembro das brigas que ouvi, das lagrimas que vi, da solidao que senti, do vazio em tudo, de uma crianca deixada ali, parada, apenas a observar as coisas ruins acontecerem. Ja vi alguns sorrisos, claro; Mas nunca foram para mim. Lembro-me de parecer um problema e nao a felicidade de alguem.

Acho que nunca fizeram questao que eu existisse, mas ja que existo, eles pagam minhas contas. Tudo por obrigacao. Nao me lembro de nenhum sorriso quando eu pedia um sorvete… lembro das caras e bocas que pareciam dizer “o que diabos voce faz aqui?”. Os sorrisos foram apagados da minha infancia, e eu os recuperei agora. Mas toda vez que eu estou feliz, alguem estraga, fico me lembrando da infancia, penso que sou indesejavel pra qualquer pessoa e tenho vontade de sumir! Assim eu nao atormentaria mais ninguem; E junto com minha saida, todos os sorrisos que conquistei tambem sumiriam… Mas pelo menos eu viveria no vazio, sem dor, sem amor… E seria o que sou hoje, mas sem tais lagrimas: um nada.

Eu queria sumir daqui, aparecer em outro lugar, e comecar uma vida nova coom meu amor(Pois foi quem me devolveu os sorrisos que tinha perdido).

With some pain, memories, melancholy and new love, Nati,

Nascer, viver, morrer.

12 set

Minha melhor lembranca, que pra sempre irei carregar em mim, bem no peito. ♥

Lagrimas frias que rolam pelo meu rosto, descendo lentamente ate que caiam; Algumas poucas e pequenas lagrimas permanecem em meu rosto, sem terminar seu trajeto, e secam apos alguns minutos. A lembranca que me traz saudade, a saudade que me traz um sorriso leve com algumas dores, o sorriso que me traz mais lembranca… E assim continuo a pensar, observando as estrelas que piscam forte nessa noite. Fico me lembrando de cada momento ao lado dessa pessoa maravilhosa, que pode me proporcionar a maior felicidade do mundo. Aquele que se preocupava em me fazer feliz ate mesmo quando ele estava triste; Aquele que me deu licoes de moral, que brigou comigo, que me trazia doces todos os dias, que me deixava a alegria e tirava de mim a tristeza, que me contava segredos que eu sempre revelava a todos, que procurava me ensinar licoes de vida ate mesmo quando nao era necessario, que sempre esteve ao meu lado, que me acalmou quando passei por outras duas perdas importantes, que me carregou no colo quando me cansei, que me cedeu o ombro para que eu chorasse, que segurou minha mao para nao me deixar partir, que me amou ate mesmo quando eu estava errada e contra ele, que me fez feliz ate o ultimo segundo ainda vivo. Ele, Luiz Menezello Jr., a melhor pessoa do mundo que poderia me ensinar TUDO em menos de 17 anos. Minha motivacao, meu ponto de paz, meu equilibrio, minha razao, meu amigo, meu conselheiro, meu companheiro, meu comediante, meu ombro esquerdo(na verdade minha metade), meu avo-pai, minha felicidade, minha vida, meu tudo. Ele simplesmente foi a pessoa quem mais me ajudou sempre, em todos os momentos da minha vida! Dificil deixar com que todos os nossos momentos se apaguem ou nao venham em minha cabeca agora; Seria dificil demais ignorar tal fato, de forma que conseguisse fingir estar bem; Uma pessoa que me ensinou a ser o que sou, que me mostrou o caminho em que deveria seguir sempre, que era meu guia, meu exemplo; Ele me ensinou a ser assim, risonha ao extremo, a insistir nos meus sonhos, a nao deixar nada pro amanha, a saber controlar alguns sentimentos, me ensinou a dizer o que realmente sinto, a deixar de lado as pessoas que me faziam mal; Ele me incentivou a tocar violao, sempre tirando seu tempo precioso de leitura ou televisao para que me assistisse com aqueles lindos olhos azuis claros, para que ouvisse minhas musicas bobas, para que me deixasse um pequeno orgulho, em ver que progredi. Ele quem me ensinou a reverter uma situacao dificil, sabendo esquecer o que foi ruim, e deixando apenas os sorrisos fluirem em mente. A minha razao de vida foi ele, sempre. Aquele quem me deu total atencao quando eu precisava de pouca, que me ensinou a caminhar quando eu quisesse desistir, que me fez tudo. Ele esteve comigo sempre, me deixando motivacoes e seu orgulho, por me ver aprender. Quando fecho meus olhos escuros, me lembro de sua risada… E me lembro do modo como me olhava quando eu nao queria sorrir. Ele me provocava o sorriso, e o ganhava, sempre!

Eu sei que comecei a dizer tarde demais que o amava, que deixei para seus ultimos anos de vida o meu sorriso, a minha motivacao, o meu bem-estar, a nossa sincronizacao… Eu deixei tudo para os ultimos anos de sua vida, mas eu mal sabia que tudo teria mesmo um fim. Mas, apesar de ter deixado pra depois, eu sei que ele sempre me entendeu pelos olhares, que eu o amava e o dava o maior cargo como pessoa na minha vida. A maior importancia, sempre foi ele; E ele sabia disso. Me lembro de cada momento juntos, como se tudo tivesse acontecido ontem, em menos de horas. Foi marcante, foi valido demais para que um dia eu possa me esquecer de um segundo sequer. Ele tinha o maior coracao do mundo, e nele cabia todos nos e nossos erros. Seu amor era tao grande, que ele nos amava ate mesmo nos erros, nos corrigindo, abracando e amando… Foi assim que aprendi a viver! Ele nunca deixou de me dizer pra eu jamais desistir dos meus sonhos e maiores desejos, pra eu nunca me preocupar com nada, porque ele sempre estaria cuidando de mim, e nunca soltaria a minha mao. Ainda posso ouvir sua voz sussurrando “Eu te amo, minha pequena estrela.”, e eu ainda tenho em mente a mesma resposta “Eu te amo MAIS, meu grande palhaco.”. Nao importa o que venha, vou sempre levar em meu coracao as lembrancas que me fizeram feliz demais; E nao tenho nada a reclamar, nem mesmo da morte, pois ele teve sorte de nao ter sentido dor ao morrer, de ter me escutado antes de morrer, de saber que todos nos o amavamos e que ele nos amava. Foi melhor ele ter deixado a dor para tras, e finalmente poder dormir, descansar.

“Querido avo, saiba que voce nunca saira de dentro de mim; Suas palavras estao gravadas em meu coracao, sua risada em minha mente, o conforto que voce me trouxe ainda permanece. Eu te amo.”

With so much love, the biggest love I ever had, Sarah.

Pai (2)

22 jul

I'll try to stay, but it's getting hard.

Lagrimas correm sobre meu rosto, querendo demonstrar tamanha raiva que sinto dentro desse pequeno coracao. Sim, pode ser e deve ser uma raiva passageira, algo a respeito de acoes pequenas, de momentos pequenos; Mas como sabem, os momentos pequenos devem ser os melhores, pois estes que ficam pra sempre em nossa memoria. As lagrimas nao param de escorrer, comeco a gritar, como se ele pudesse me ouvir. Minha historia a respeito de meu pai nunca foi boa. Nunca o tive presente em minha vida, ainda mais por meus pai serem separados. Ele me deixou quando eu tinha apenas 1 ano, mas continuou a nos visitar sempre ate meus 4. Me lembro de um dia em que ele chegou em casa e businou, eu sai correndo em direcao ao portao, abri muito rapido, entrei no carro com um sorriso enorme -igual aos de criancas felizes aos 4 anos-, dei um abraco nele e disse: “Ooi paaaaaiiee!” Ele olhou pra mim, nao me deu um abraco e disse: “Chama sua mae pra mim.” Eu nao ganhei nem um abraco, nem um sorriso, nem palavras tolas ou despreziveis… Eu quem fui desprezada. Eu saio do carro, e ainda com o sorriso no rosto, vou andando devagar em direcao a porta de casa, enquanto ando meu sorriso vai desaparecendo. Sim, apenas 4 anos eu tinha, e guardo esse momento ate hoje. Nao desisti de meu pai, com certeza nao. Eu o ligava todas as sextas-feiras perguntando se ele iria ficar comigo naquele final de semana; As vezes eu ganhava um “sim, filha” mas em outras recebia um simples “nao”. Eu costumava a dormir com meu pai, na cama dele, toda sexta. Ate que um dia, ele disse “nao quero que voce durma mais comigo! Eu nao durmo direito.” Me doi lembrar dessas palavras, eu tinha apenas 5 anos. Entao, no meu aniversario de 6 anos -que foi na escola-, eu o chamei e ele nao apareceu. Ele nem ligou pra avisar. Ele nunca se lembrou dos meus aniversarios, nunca me deu presentes, mal me deu um sorriso. Nunca fui acolhida por ele, e isso se reflete no hoje. Eu ainda tento recupera-lo, e ele tem melhorado, ainda mais por eu morar com ele agora. Mas ele nao tenta o suficiente, e ele troca tudo pros prazeres dele, mas ele pedeu 3 semanas viajando a toa, e nao pode perder uma sexta-feira pra ir viajar comigo. Sabe o que eu fiz com ele essas ferias? Nada. Sabe o que fiz com a minha mae essas ferias? Nada. Agora me diz, por que ainda tento? Por que ainda quero? Por que ainda estou aqui? Esse eh meu ultimo ano como “ultima filha”, mas ninguem reconhece, ninguem percebe. Eu sou um vazio, um fantasma dentro de um lugar cheio de gente. Sou uma pequena crianca ainda, mas so pra eles. A pai, como eu queria que voce me olhasse de modo diferente. Como eu gostaria que voce perdesse um dos seus dias preciosos comigo. Como eu queria um abraco sincero, palavras e olhares sinceros. Como eu queria ser sua filhinha em que voce passasse a mao no rosto, limpasse minhas lagrimas de agora… Mas o que voce faz? Apenas observa. Me escuta chorando durante noites em que sinto dor, que quero ter alguem, que preciso de alguem. Como eu queria receber seu amor verdadeiro. Me desculpe se falhei em algum momento, mas agora eu desisto. Limpo minhas maos, e abro mao de tentar ser feliz dentro de casa, desisto de ter um “Lar, doce lar”. Eu nunca o tive mesmo, que diferenca faria ne? Eu queria ser seu tudo, ou seu pouco; Mas nao consigo. Voce se cega com seu trabalho, se cega com seus amigos, e deixa para tras sua filha. Talvez, SE voce um dia decidir olhar para tras, me veja de costas, partindo; Ou talvez eu ja nem esteja mais la.

With love and pain, inside of this little black heart, Sarah.

Pai.

14 jul
As lágrimas escorrem pelo meu rosto  ao  tomar  uma decisão em  minha vida. Que muda toda a minha  vida, todos  os meus  planos  anteriores.
Como  me  imagino daqui  10 anos? Morta.
Ele – ou será que  deveria  chamá-lo de pai? Bem,  acho  que não –  guarda um ódio do tamanho do universo. Um ódio  que machuca. E vive  em um  mundo  onde  a única  coisa que  importa  são os  pensamentos  dele. Ele não mede palavras e palavrões para  ofender seja  lá quem  for  o  azarado que estiver por perto. Coleciono palavras  atiradas  contra  mim,  que machucam muito  mais do que  pedras.  Coleciono  palavrões.
Nenhum  sorriso. Nenhuma  palavra de  consolo. Nenhum abraço. Nada de  bom ou eliz faz parte  de  minhas lembranças.
Eu realmente gostaria  de  ser alguém  melhor  pra  ele,  por  ele. Gostaria  de  ser  um  orgulho.  Gostaria  que eu fosse a  menina preferida, a  protegida. Nem acharia  ruim  um pouquinho  de ciúmes. Gostaria de  fazê-lo sorrir.  Gostaria de receber  um  abraço seguido de um “Durma bem, minha pequena”.  Gostaria de sentir seus braços ao meu redor enquanto eu choro porque fui mal no teste de  matemática. Gostaria que ele tivesse me ensinado  alguns cálculos  ou  lido  algum livro  para mim.  Gostaria de saber qual é a  sensação de assistir sua mãe  sorrir por ser amada  pelo seu  pai. Gostaria de saber  qual  é a sensação de ser amada pelo seu pai.  Gostaria de  ser um  motivinho  de orgulho, nem que fosse só um  pouquinho. Gostaria que ele me comprasse um presente  alguma vez. Gostaria que ele  lembrasse de  meus aniversários.
Ah, Pai… Porque diabos você é assim, tão odiável? Me  diga, o que aconteceu em sua vida para que tenha  que estragar a minha..
Sinto meu mundo desmoronar e a  minha  cabeça  doer continuamente. Perco meus amores e  minhas idéias, assisto os  dias passarem e não  me  impressiono mais por não saber realmente o  que se  passa  em minha  mente.
Meu sonho até  então era ter  crianças correndo pela casa, me abraçando  ao chegar,  dormindo  comigo e  meu marido na  cama. Hoje, casamento  para mim é sinônimo  de solidão, e filhos para mim são  sinônimos de frustração –  pois é o que  sou para meu “pai”.
Tentei  de diversas maneiras de aproximar,  conversar, contar, abraçar… Mas ele é tão duro  quanto  uma  rocha e  tão frio  quanto  o  gelo. Então, eu desisti dele. Desisti de mim.
Desisti de  ter  uma família. Se é que isso existe.
Ally.