Tag Archives: escola

Bolhas.

18 ago

Antigamente, chamava-se tribos. Que eram os grupos de pessoas. Mas gosto de chamar de bolha. Cada pessoa vive em sua bolha. Algumas, arriscam-se a entrar em outras bolhas, formando, então, grupos. Onde essas pessoas encontram-se seguras, vivendo dentro de suas bolhas, junto com as pessoa que ama. Existem bolhas que são diferentes, mas gostam de juntar-se de vez em quando para algumas risadas.

Hoje venho falar de um tipo específico de bolha. Ninguém costuma falar muito dela… As pessoas têm um certo medo de assumir que essas bolhas existem. É que eu venho observando essas de longe, todos os dias. São chamadas bolhas de veneno. Elas são formadas inconscientemente, antes que perceba, ela está lá… Em volta de você. Felizmente um dia consegui perceber que talvez, uma bolha dessa poderia estar querendo me “capturar”. Mas me livrei. Mas voltando à explicação… As pessoas que vivem dentro dela estão tão dopadas pela falsidade que nem conseguem perceber o mundo macabro em que respiram. Quem vive dentro dela, são aqueles que não conseguem manter nenhum vínculo de amizade (nem costumam saber o que é isso). Pessoas nojentas. Bonitinhas por fora. Mas podres e completamente vazias por dentro. O problema é que esse tipo de bolha não sobrevive muito tempo, ela estoura. E quando essa bolha de veneno resolver estourar, os contaminados são aqueles que estavam dentro dela. Serão cobras morrendo infectadas pelo próprio veneno. E não há o que dizer para essas pessoas. Elas não enxergam nada… Gostam apenas de falar; mentiras. E então essas pessoas ficam fora de todas as bolhas… Pois nenhuma outra bolha (além das de veneno) suportariam tamanho ar de falsidade sem estourar.

Quando essa bolha de veneno da qual observo (embora existam muitas outras, espalhadas por todos os lugares) estourar, eu já estarei bem longe. Pois a minha bolha movimenta-se junto com quem amo. Vai percorrendo caminhos saudáveis, buscando novas pessoas, novos sorrisos… Sinceros, claro. E valorizando as antigas. Minha bolha é amor.

E a sua?

Ally.

I hate this fucking school.

2 ago

As terríveis manhãs estavam de volta. O sono atormentando as pessoas e os olhares como se quisessem me assassinar. Uma típica segunda-feira (o que já é ruim) e primeiro dia de aula, o que a torna pior ainda. Cada um estava alegre a sua maneira por ver os amigos, ou supostos amigos. E então, começa a rotina… Aquela rotineira falsidade pairando no ar, olhares disfarçados e rostos virados. Como se isso fosse necessário! Nunca fiz nenhum mal à absolutamente ninguém e tenho minha consciência completamente limpa, e cheirando muito bem de tão limpinha. Posso afirmar também que estou completamente feliz com minha única amiga – que por sinal, é Sarah – e não faço questão nenhuma de estar cercada de amigos e sorrisos falsos. Por isso estou bem com ela, pois sei que é verdadeiro. Colocaria minhas mãos ao fogo por ela. Sabe, nós nunca fazemos uma maldade a ninguém. Na verdade, nós nem se quer sabemos muito sobre as outras pessoas.  Mas reparamos, ah, reparamos. E minha querida observadora… Desvie seus olhos de nós, ou vai acabar os perdendo. Não brinco sobre isso. Tome cuidado também, por favor, ao seu jeito ridículo de mastigar. Se por acaso morder sua língua, morrerá engasgada com o próprio veneno. E não banque de Dakota Fanning em Eclipse, pois esse seu olhar obscuro e sem vida não machuca a mim, nem a Sarah, pelo contrário, apenas demonstra sua inveja. Você tem a capacidade de cuspir inveja pelo olhar. Eu e Sarah apenas sorrimos. É basicamente tudo o que nós fazemos, e fazemos muito bem, por sinal. Sem falsidade, nem hipocrisia.

Creio que as coisas melhorariam assim que cada um resolvesse sorrir. E apenas isso. Mas sorrir verdadeiramente, com quem realmente gosta. Até onde sei, em minha ingênua concepção do mundo, não existe valor nenhum em andar com quem você sabe que te apunhala pelas costas. Mas quem sabe em algum momento você não irá mais aguentar o sangue e as feridas interiores, e então, irá tentar ser alguém ou morrer.

Enquanto isso, irei caminhando cuidadosamente entre as reformas daquele colégio, atenta para que não acabe tropeçando em alguma das poças de veneno. Também tentarei me manter afastada desses olhares e atitudes, que honestamente me fazem rir. Só lamento por algumas pessoas, que acabam se tornando tão hipócritas, apenas por convivência com gente que vem de baixo. Tomem cuidado para que o diabo não fique de olho em vocês, hipócritas, pois ele adora mentiras, falsidade e comentários desnecessários sobre as pessoas ao redor. Mas quando isso acontecer, será tarde demais. Abram o olho para dentro de vocês mesmos, que nem valem tanto assim. Vão cuidar do que está podre dentro de si mesmos. Para depois tentar ser alguém na vida. Se é que isso já é possível. Eu apenas lamento por tal desperdício de alma.

Ally.