Um tudo sobre nada.

21 jan

Im feeling weird.

Às vezes a gente se cansa de ser ninguém. Às vezes damos pulos e queremos mudar tudo, ou apenas desistir e largar tudo para trás. É ruim não ser reconhecido, parecer invisível; talvez te chamem de sensível, mas isso porque não sabem a dor que bate no peito. Às vezes palavras machucam, enquanto outras podem nos confortar. Os sentidos e sentimentos se perdem, ficam misturados e não sabemos o que fazer. As palavras nos sossegam, por poucos instantes. Sentir o vazio é normal, já que se sentir cheio não tem mais como. Sempre falta alguma parte de nós com a partida de alguém; seja a tal por alguns dias, meses ou para sempre. Doí quando descobrimos que alguns amigos, na verdade não são amigos. Doí saber que a falsidade ainda está entre nós, quando não a queríamos. Mas não se apavore, sempre tem alguém que nos socorre… por mais que talvez seja a nossa mãe quem nos abrace, porque não acreditamos nela quando ela disse que aquele amigo não valia nada. É ruim assumir que a mãe sabe mais, não é? A gente sempre parece entender tudo, quando na verdade, estamos totalmente enganados. Descobrir isso depois do erro, e ter que assumir pra mãe… nossa, que arrependimento maldito. Estranho sentir falta de alguém que não conhecemos, como os amigos virtuais; mas muitos deles parecem ser mais amigos (e alguns são), do que aqueles que estão próximos de nós. Às vezes da vontade de voltar no tempo, e aproveitar o que achamos que não seria nada, mas que hoje é o que faz falta. A gente se arrepende de algumas coisas, mas, só assim pra sabermos como ir vivendo esses estranhos caminhos cheios de defeitos e desvios. A vida é difícil, todos nos sabemos… agora concordo com minha mãe, haha: “mas ninguém nunca disse que seria fácil.”

Malditos pensamentos que vieram aleatoriamente em minha cabeça… realmente não sei porque escrevi tais coisas.
Às vezes eu me perco em tudo, porque pareci perder alguém. Só isso.

With noise, Nati.

Anúncios

5 Respostas to “Um tudo sobre nada.”

  1. mike 22 de janeiro de 2011 às 7:20 #

    boom as 5H17 da manhã esse texto veio na hora certa !

    HAHAHAHAAH éééé pensamentos assim que normalmente me vem a cabeça quando deito,nao importa a hora. Só entrar no meu quarto e deitar naquela maldita cama que isso invade e vai ferrando tudo por muuuuuuuuitas horas até cair no sono sem perceber !

    muuito bom @_@

    **:

  2. Henrique Schmitz 24 de janeiro de 2011 às 2:22 #

    É.. esse tipo de coisa consegue nos deixar bem pra baixo. Conseguiu escrever bem o que muita gnt só consegue sentir. Parabéns guria. E digamos, melhoras!

  3. Renata Mendes 28 de janeiro de 2011 às 3:14 #

    Muuito lindo!
    É assim que geralmente penso e me sinto.

    Parabéns!

  4. Gabriela 28 de janeiro de 2011 às 16:55 #

    Exatamente o que eu sinto…

Trackbacks/Pingbacks

  1. Um tudo sobre nada. « Confidences - 14 de agosto de 2011

    […] 14 ago Às vezes a gente se cansa de ser ninguém. Às vezes damos pulos e queremos mudar tudo, ou apenas desistir e largar tudo para trás. É ruim não ser reconhecido, parecer invisível; talvez te chamem de sensível, mas isso porque não sabem a dor que bate no peito. Às vezes palavras machucam, enquanto outras podem nos confortar. Os sentidos e sentimentos se perdem, fica … Read More […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: