Alles voir un film? (Vamos ver um filme?)

18 abr

It was a simple day, ‘till he ask me to go out. It never happened before, so my heart started beating so hard.

Nossa história comeca num dia calmo, onde tudo era pra acontecer normalmente, já que minha vida tinha se tornado uma rotina.
Era sempre a mesma coisa: acordava, tomava meu banho, arrumava meu cabelo desgoncado, tomava café da manhã, pegava meu dinheiro pro dia, dava um beijo na testa da minha mae, passava meu gloss, e saia para a escola. Minha escola nao era tão perto, então eu pegava metro. Com meu fone, ouvindo alto, escutava geralmente Paramore, e nem ouvia o que se passava em minha volta. Sempre reparei em tudo, entao via quem pegava sempre o mesmo metro comigo. Nunca conversei com ninguém, claro. Não por ser perigoso, mas, por não me deixar querer… Havia um garoto apenas que era da minha idade, mas, nunca olhava pra mim. Porque então eu iria fazer algo? Ele nem fazia exatamente parte da minha vida. Aqueles metros de londres nao eram muito confortáveis… Não os que eu pegava diariamente. Bom, saia do metro e ele continuava lá; Eu ia pra escola, saia no meio da tarde, ia tocar violão e cantar na casa do Evan com mais uns amigos; Depois eu pegava mais um metro ou minha mãe passava lá pra me buscar. Chegando em casa, comia, ligava a TV e depois entrava na internet. Dormia, acordava, e assim conitnuava minha semana, meu mes, meu ano. Tirando algumas tardes que ao invés de ir pro Evan eu ia direto pra casa. Assim comecei a reparar naquele menino, o do metro. Todos os dias olhava pra ele, suas roupas, e notei que sempre estava com iPod, menos nas tercas-feiras. Um dia pensei em deixar uma vez meu iPod, para ver se algo mudava. Após duas semanas que eu o encarava todos os dias, achei que ele notaria, mas achava que não; Então, quando chegou terca-feira, após essas duas semanas, eu deixei meu iPod, e com certeza sentia a falta dele até entrar no metro. Mas dessa vez, quem me encarou, foi ele. Eu fiquei vermelha, envergonhada, ainda era tímida… Ele nunca se sentava, mas, dessa vez se sentou… Do meu lado. Desespero, nao sei porquê. Meu coracao batia rápido, e eu respirava devagar. Eu, que antes nem escutava o que acontecia ao meu redor, agora era como se sentisse tudo na minha pele. Vento, pessoas, escutava tudo, enfim; Ele ainda me encarava, e não tirava os olhos de mim, e eu decidi encará-lo também. Ele me olhou, bem nos olhos e perguntou meu nome. Eu não surpresa com a pergunta, respondi calmemente e perguntei o mesmo. Nathan… Nunca mais me esqueceria desse nome :) Ou melhor, desse dia. Então, eu não trouxe mais meu iPod e nem ele. Conversavamos todos os dias e comecamos a sair. Até que um dia ele me chamou pra ir ao cinema, e no meio do filme romântico, ele me faz a mais simples e complexa pergunta: Quer namorar comigo? Me faltava fôlego no momento, foi tão repentino e perfeito! Eu já sabia minha resposta, mas minha reacao era meio desesperadora. Então, eu obviamente disse que sim. E a partir daquele dia, ele me fez e faz a pessoa mais feliz, até hoje.
And they were happy ‘till the end!

Boa tarde, contadores de fadas, ha!                //Sarah

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: